segunda-feira, 23 de março de 2009

Cordilheira Huayhuash, Perú - por Rafael Guerra

Em setembro, após encarar uma trilha na Pedra do Cortiço, em Petrópolis-RJ, o Fábio Fliess me falou sobre seus planos a respeito de Huayhuash e da possibilidade da minha adesão ao grupo para a expedição. Digo possibilidade porque uma aventura como essa exige um preparo físico nada comum e na época eu além de pouco malhar, ainda lutava, sem determinação, contra o tabagismo.


O Cerro Diablo mudo será escalado por nossa equipe durante a jornada


Imediatamente falei com ele que o desafio estava topado! Claro que com um tremendo frio na barriga por causa da responsabilidade que implicava o aceite daquele convite. Eu sabia que precisaria me preparar muito bem, caso contrário, correria o risco de perder todo o investimento se houvesse a necessidade de desistir em cima da hora ou mesmo colocar toda a equipe em risco em uma situação de emergência caso passasse mal durante a caminhada por falta de condicionamento.

Desde então temos trabalhado bastante para organizar a aventura. Foram vários detalhes como transporte para o interior, a equipe local de apoio, materiais para diversas finalidades e por aí vai. Foi tão desgastante que eu tive a idéia de compartilhar tudo com quem estiver interessado.

A cordilheira Huayhuash fica no Peru, próxima da famosa Cordilheira Blanca. O objetivo da nossa equipe, formada por mim (Rafael), Fábio, Gilmar e Alessandra é fazer um trekking no entorno dessa cadeia de montanhas. Esse trekking é considerado um dos 10 trekkings mais bonitos (e exigentes) do mundo. O circuito completo tem a extensão de aproximadamente 180kms e dura 11 dias, considerando o tempo que precisaremos para escalar uma das montanhas da região: o Diablo Mudo. Durante quase todo o tempo estaremos caminhando acima dos 4000m, com passos (ponto mais baixo entre duas montanhas) próximos dos 5000m. Nessa região também ficam 6 montanhas com mais de 6000m, incluindo o Yerupaja, a segunda maior montanha do Peru. Em Huayhuash também fica o Siula Grande, famoso pela escalada (e a quase tragédia que se seguiu) narrada no livro/filme "Tocando o Vazio".



A cidade de Huaraz


A aventura vai ser desgastante desde o início da viagem. Ainda no dia da nossa chegada à Lima, capital peruana, embarcaremos em um ônibus para a cidade de Huaraz, aonde chegaremos pela manhã do segundo dia, após mais 8 horas de trânsito.

Huaraz é a capital do Departamento de Ancash, distante cerca de 400km da cidade de Lima. Está a 3.052m de altitude, num vale entre as famosas cordilheiras Branca e Negra, muito procuradas por montanhistas de todo o mundo. Por este motivo é considerada a capital peruana do montanhismo.

A Equipe.
Será composta por mim, Rafael, Fábio, Gilmar e Alessandra, sua esposa, um guia e um cozinheiro. Contaremos com a ajuda de mulas para o carregamento das provisões e de parte dos equipamentos.

Aclimatação.
Ficaremos por lá, nos aclimatando à altitude por 3 dias, aproveitando para conhecer a cidade, com foco em sua gastronomia (claro!), e fazer algumas caminhadas como a da Laguna Churup, que é uma belíssima lagoa de águas cristalinas situada a cerca de 12km à leste do centro de Huaraz, na Cordilheira Branca. Esta lagoa está a 4.450m de altitude, em uma montanha com o mesmo nome, e suas águas são formadas pelo degelo da neve que se acumula e desce do cume da montanha.



A laguna Churup


As ruínas do templo de Wilcahuain

Aproveitaremos também para fazermos um trekking com duração de 3 a 4 horas para as ruínas do templo de Wilcahuain, distante cerca de 8km ao norte de Huaraz. Este templo, cujo nome provém do dialeto Quechua, e significa (Wilca = neto / Huain = casa) casa dos netos, foi construído entre os anos de 600 a 1000 d.c. pelo povo Wari, uma cultura anterior à civilização Inca. Foi construído em um estilo chamado Tiahuanaco. As suas salas eram usadas para guardar múmias, que eram mantidas secas por meio de um elaborado sistema de ventilação.

Continuando a caminhada, seguiremos para o povoado de San Miguel de Recriash, de onde, após mais uma hora de caminhada chegaremos às termas de Monterrey. Onde poderemos relaxar em uma piscina de água natural à 50°c.

Como ninguém é de ferro, e esta caminhada é apenas uma preparação, voltaremos para o Hotel em Huaraz, devidamente motorizados.

A Expedição.
Será dividida em nove etapas, de acordo com o número de acampamentos e pernoites que faremos durante o trekking.

1° DIA – De Pocpa até Cuartelhuain. Às 5h da manhã do quarto dia de viagem partiremos para a cidade de Chiquián, onde trocaremos de transporte. Passaremos pelo vilarejo de Llamac, situado à 3300m de altitude e, enfim, chegaremos ao vilarejo de Pocpa (3250m). Nesse local iniciaremos uma caminhada de 6 horas até Cuartelhuain (4100m), nosso primeiro acampamento.
Tempo de caminhada: 6 horas
Desnível: +850m

Vilarejo de Pocpa



Matacancha

2° DIA – De Cuartelhuain até a Laguna Carhuacocha. É o dia de atravessarmos o primeiro passo, o passo Cacananpunta (4700m), de onde poderemos avistar alguns nevados como o Ninashanca (5607m) e o Rondoy (5870m). Após descermos o passo, descansaremos no povoado de Janca (4171m) e começaremos a subida do passo de Punta Carhuac (4650m). O nosso acampamento será montado após este passo, próximo à Laguna Carhuacocha (4100m) e em frente às montanhas Jirishanca, Siula Grande e Yarupaja, esta última a segunda maior montanha do Peru, com 6617m.
Tempo de caminhada: 8 horas
Desnível: +600m / -529m / +479m / -550m


Laguna Carhuacocha


Os Cerros Rondoy e o Jirishanca


3° DIA – De Carhuacocha até Huayhuash. Um dos dias mais bonitos de toda a aventura porque passaremos pelo conjunto das três lagoas Garangacocha, Siulacocha e Quesilococha. Estas lagoas tem uma variação de cores que vai do azul turquesa ao verde. Um espetáculo da natureza.
Após cruzarmos o passo Siula (4850m), com uma linda vista panorâmica, chegaremos à localidade de Huayhuash, que tem o mesmo nome da cordilheira, para mais um acampamento.

Tempo de caminhada: 8 horas
Desnível: +750m / -550m

4° DIA – De Huayhuash até a Laguna Viconga. Após atravessarmos o quarto passo, Portachuelo ou Araraj (4750m), chegaremos ao nosso local de acampamento à margem da lagoa Viconga (4400m), onde poderemos curtir um relaxante banho nas águas termais de Atuscancha.


Tempo de caminhada: 6 horas
Desnível: +450m / -350m


Laguna Viconga

5° DIA – Da Laguna Viconga até Guanacpatay. Cruzaremos o passo de Cuyoc (5000m), o quinto da trilha, onde teremos uma incrível vista da Cordilheira Raura e dos nevados Cuyoc, Trapecio, Quesillo, Huaraca, Carnicero, Siula e Yerupaja. Iremos montar nosso acampamento em Guanacpatay (4300m).

Tempo de caminhada: 6 horas
Desnível: +600m / -700m

O Passo Cuyoc

O Cerro Cuyoc

6° DIA – De Guanacpatay até Huayllapa. Desceremos o vale de Guanacpatay até o povoado de Huayllapa (3500m), onde há produção de queijo.

Tempo de caminhada: 5 horas
Desnível: -800m

Povoado de Huayllapa

7° DIA – De Huayllapa até Gashpapampa. Após atravessarmos o passo Punta Tapush (4800m) chegaremos à Gashpapampa (4600m), local do acampamento base para a escalada do Cerro Diablo Mudo.

Tempo de caminhada: 7 horas
Desnível: +1300m / -200m

8° DIA – Escalada ao Cerro Diablo Mudo com retorno em Jahuacocha. Um dos dias mais aguardados pois será o dia que vestiremos nossos equipamentos de alta montanha para escalarmos o Diablo Mudo (5350m). Para esta “aventura dentro da aventura” acordaremos às 4h da madrugada para aproveitarmos a rigidez da neve e a consequente redução dos riscos durante a subida. Não desceremos a montanha pela mesma via usada na subida. Desceremos pelo lado oposto, cortando caminho ao evitarmos contornar a montanha para chegarmos à laguna Jahuacocha (4100m), onde acamparemos por mais uma noite.
Tempo de caminhada: 10 horas
Desnível: +750m / -1250m


Cerro Diablo Mudo


Laguna Jahuacocha


9° DIA – Descanso. Após 8 dias de uma exaustiva e recompensadora caminhada, passaremos uma parte do dia descansando e na outra parte faremos uma pequena caminhada para a Laguna Solteracocha, de onde poderemos apreciar os nevados de Rondoy, Jirishanca, Yerupajá Chico, Toro, Yerupajá, Rasac e Tsacra.

Laguna Solteracocha

Laguna Solteracocha, Jirishanca e Yerupajá

10° DIA – De Jahuacocha até Llamac. Atravessando o último passo, o Pampa de Llamac (4300m), veremos pela última vez os nevados da Cordilheira Huayhuash e retornaremos à Llamac (3300m), pequeno povoado que fica na porta de entrada da Cordilheira Huayhuash.
Tempo de caminhada: 6 horas
Desnível: +200m / -1000m

O Cerro Yerupajá visto do Passo Pampa de Llamac

Serão dias de intenso desgaste, em que caminharemos em uma altitude média de 4500m sofrendo todos os males que os simples mortais, nascidos ao nível do mar tem direito ao se meterem com à morada dos Apús, os deuses das montanhas, segundo a mitologia Inca. Venceremos desníveis superiores a 1000m mesmo debilitados pela altitude e pelo desgaste dos dias de caminhada anteriores. Todo este esforço muito bem recompensado pelo prazer e oportunidade de desfrutar da beleza e da magia deste local único.

3 comentários:

Daniele disse...

Oi Rafael,

Através do Fábio, fui apresentada ao blog, que por sinal está interessantíssimo. Em poucas palavras parabenizo pela iniciativa de sua criação. As informações que agregará ao conhecimento daqueles que tiverem a sorte de acessá-lo são valiosíssimas. A mudança de atitude em relação ao vício é contagiante.
Digo que estarei torcendo por vcs nesse projeto desde já.
Parabéns!

Rafael Guerra disse...

Oi Daniele,

Muito obrigado pelo seu comentário.

Por não saber como responder a sua mensagem (ainda estou tentando dominar a ferramenta), cheguei a pedir ao Fábio que fizesse o favor de levar à você o meu "obrigado".

Fiquei muito contente com o seu comentário. Ele é que foi contagiante.
Obrigado pela força!

FATIMA disse...

RAFA ISSO TUDO É DEMAIS.NUNCA VI NADA TÃO LINDO BEIJOS E PARABÉNS.FAFA