segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Sem dormir e sem parar rumo a Laguna Churup, por Rafael Guerra


Chegamos no hotel às 7:15h da manhã depois de encararmos 6 horas de voo e 9 horas de ônibus de Lima para Huaraz. Somente 20 minutos depois a van da agência de trekking já estava em frente ao hotel nos aguardando para nos levar para uma das entradas do Parque Nacional Huascarán, onde faríamos uma caminhada de aclimatação para a Laguna Churup.

Após cerca de 30 minutos ziguezagueando por uma estrada sem pavimentação e ouvindo as muitas explicações do guia Ivan, chegamos ao início da trilha onde havia um funcionário do parque em uma viatura fazendo o recolhimento das taxas de entrada. A minha adrenalina já estava a mil antes mesmo de começarmos a caminhar. Tudo era novidade.
Naquele ponto estávamos a 3850m de altitude e eu inocentemente resolvi dar uma acelerada na frente do grupo para filmar o início do trekking. Quase tive um troço quando cheguei no local desejado. Apesar de toda leitura que havia feito nos meses que antecederam a viagem, eu estava aprendendo na marra sobre as dificuldades de uma atividade como aquela na altitude.
Caminhamos por uns 30 minutos até o marco dos 4000m. Eu estava sentindo muita dificuldade e precisei parar várias vezes para tomar fôlego.
Continuamos subindo uma bonita crista, coberta por um tipo capim dourado, sempre tendo as montanhas da Cordilheira Blanca à nossa volta. Aproximadamente 1 hora depois chegamos na quebrada Churup, um pequeno vale com uma subida rochosa e bastante acidentada do outro lado por onde a água do córrego da laguna descia com velocidade, como uma cachoeira.
Uns 30 minutos de "escalaminhada" depois, já estava chegando na Laguna Churup, a 4450m.
A laguna Churup fica na base do Nevado Churup (5495m), uma montanha mista com neve e rocha, muito procurada por alpinistas na região. As suas águas azuis e cristalinas são formadas pelo degelo da neve que se acumula no cume e a laguna é quase que totalmente rodeada por rochedos íngremes, e não fosse a temperatura de 5ºc da água eu certamente arriscaria um mergulho.

A quebrada Churup.


Ficamos no local somente o tempo suficiente para as habituais fotos e para comer algo porque estávamos a ponto de "desmaiar" de sono.
A volta, como sempre, foi mais rápida e logo estávamos de volta ao nosso hotel para finalmente conhecer os quartos, arrumar os equipamentos e ter o merecido descanso e preparação para a aventura do próximo dia.


A laguna Churup.




2 comentários:

guerreirofd disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
guerreirofd disse...

Sacrificios recompensados... lindo lugar. Estimula ainda mais a vontade de acompanhar gente igual a vcs.
Parabéns mais uma vez.

Abraço