sábado, 13 de junho de 2009

Pedra do Juriti, por Rafael Guerra

Após quase um mês sem caminhadas, fui conhecer a Pedra do Juriti na companhia de Antônio, Iza, Marcelo Melo, Fábio, Gilmar, Alessandra e das convidadas do grupo, Gláucia e Neide.

A Pedra do Juriti é uma montanha de 1.513m situada em Petrópolis, numa bonita região rural chamada de Brejal. Fica longe... bem depois de Itaipava.

Fomos em três carros e os deixamos em frente à uma porteira, no início de uma estradinha de barro com o curioso nome de Estrada do Passa Pouco, que deveríamos seguir para chegarmos ao início da trilha. Logo assim que chegamos recebi a primeira surpresa do dia: eu havia manobrado e estacionado o carro em cima de um monte de esterco fresco... argh! Isso serviu de alerta para eu não esquecer de lavar o carro e também para o fato de que, provavelmente, teríamos carrapatos como companheiros durante (e depois) da caminhada. Porque onde há esterco, há gado. E onde há gado, geralmente há carrapatos.

Seguimos a tal estradinha por uns 15 minutos, imaginando estarmos seguindo corretamente as indicações do texto do guia que estávamos acompanhando, pegamos a trilha errada e a seguimos por uns 10 minutos até que nos demos conta do engano e voltamos para continuarmos o caminho correto. O interessante é que quando encontramos a trilha correta, tive a impressão de que ela era mais fácil de encontrar do que a que escolhemos inicialmente. Vai entender porque passamos direto...


A subida pela primeira crista.

Estávamos a 1.045 m de altitude quando iniciamos uma subida leve. Caminhamos por uns 300m em meio a um mato baixo, por uma trilha quase inexistente. No final dessa primeira subida chegamos num platô de onde foi possível avisar uma extensa e estreita crista que terminava em uma forte subida em direção ao primeiro "cume falso". Resolvi ficar parado por ali, de longe, filmando a subida da turma e curtindo um pouco aquele momento sozinho. Assim que os primeiros amigos chegaram no alto da elevação, desliguei a filmadora, recolhi o tripé e caminhei em um ritmo forte para tentar alcançá-los logo. Parei para ganhar fôlego na metade da subida, onde me reuni com a Gláucia, o Marcelo Melo e a Neide. Fomos subindo juntos a partir daquele ponto.


Segundo cume falso.



Alessandra abrindo caminho pela segunda crista.

Após o cume falso há uma segunda crista, ainda mais estreita que a primeira. Foi nesse ponto que a Alessandra se revelou uma verdadeira "mateira". A trilha estava bem fechada por arbustos e a passagem estava impedida até que ela, armada com o meu facão, praticamente abriu uma avenida para todos passarem. A caminhada por essa crista termina em uma laje de pedra, já na subida para o cume. Dali para o cume são menos de 10 minutos de subida "escalaminhando" pela rocha. Do alto da Pedra do Juriti pudemos comtemplar toda a beleza da região, com destaque para o Taquaril e para a Jacuba Maior (ou Pedra do Elefante).
Para quem quiser curtir essa caminhada recomendo levar um facão, para abrir caminho pela segunda crista e muita atenção com os restos de cercas e arame farpado que podem ser encontrados pelo caminho.
Até a próxima!

Começando do alto, da esquerda para a direita. Marcelo Melo, Antônio, Fábio, eu, Iza, Alessandra e Gilmar.

Um comentário:

guerreirofd disse...

Oi Rafa,

Muito legal, tirando os carrapatos, rsrs.
Vc como sempre muito bem humorado me fez dar boas risadas nessa aventura...
Abraço.
Daniele