sexta-feira, 20 de junho de 2014

Travessia da Serra do Papagaio - Dia 4, por Fabio Fliess



Já havíamos combinado na noite anterior de acordar bem cedo no último dia, por volta das 5h30, preparar um café e iniciar a descida por volta das 7h.  Assim chegaríamos cedo em Vargem e aguardaríamos o resgate na mercearia ou no bar do vilarejo! E assim fizemos.  
Durante a arrumação das mochilas, ainda encontrei tempo para registrar um bonito nascer do sol. A única coisa ruim foi ter que guardar a barraca bastante molhada pela condensação da noite. Por volta das 6h45 já estávamos alimentados e praticamente prontos para começar a caminhar.

Morro do Chapéu, logo depois de levantarmos acampamento.
Foto: Fabio Fliess


As 7h15 colocamos as mochilas (felizmente, mais leves) nas costas e começamos a descida até o bairro da Vargem.  Sabíamos que hoje seria o trecho mais curto de toda a travessia, e caminhávamos em ritmo moderado.  No primeiro trecho de descida, a trilha é bastante erodida e com muitas marcas de motos. Descemos com cuidado, porque escorregar nesse terreno é muito fácil. 
Com cerca de 1 hora de caminhada, entramos na mata fechada e a descida continuou forte por mais uns 10 ou 15 minutos. Depois a trilha praticamente estabiliza no plano e cruza um riacho, onde pegamos um pouco de água, mas apenas o suficiente para chegarmos ao bairro.  Ainda faltavam mais 3,5km de caminhada. Como diz o Rafael, um “belisquinho”!

Marcelo Garcia e o Morro do Chapéu ao fundo!!
Foto: Gustavo Machado


Recompostos pela água geladinha, retomamos nossa caminhada através de um pequeno trecho de mata, até sair num grande descampado com algumas cercas e muitas trilhas confusas. Nesse ponto não seguimos o tracklog do GPS e saímos da crista que ele indicava. Cerca de 5 minutos depois saímos ao lado de uma casa, onde a moradora nos indicou o caminho para Vargem.
A partir desse ponto, seguimos por um estradão que primeiro corta uma grande plantação de eucaliptos e depois segue em terreno aberto.  A nossa direita, ficava bastante claro o porquê do nome Morro do Chapéu!  O dia estava ensolarado e a moral estava alta... Agora faltava muito pouco!

Caminhando no estradão depois da trilha, com o Morro do Chapéu ao fundo
Foto: Gustavo Machado


A turma caminhando no meio da floresta de eucaliptos
Foto: Gustavo Machado

O bosque de eucaliptos
Foto: Gustavo Machado

Por volta das 10h15 chegamos todos juntos, depois de longos 51km de trilha, ao bairro da Vargem.  Fomos direto para a Mercearia do Edvaldo, onde finalmente tiramos as mochilas das costas.  Fui até o bar da Dona Francisca que nos fez a gentileza de entrar em contato com o Marcus. Confirmei nosso resgate para o meio dia e voltamos para a mercearia onde “detonamos” uma Coca de 2 litros geladíssima. Hidratamos com bastante cerveja gelada e comemos pastel de queijo e queijo mussarela feito na cooperativa ao lado da mercearia.  Quem tiver a oportunidade, compre o queijo mussarela e/ou parmesão “Da Lage” (a marca da cooperativa). Uma delícia!
Para aqueles que não fecharam antecipadamente o resgate, existe um ônibus que sai de Vargem para Baependi às 9h da manhã.  Nesse caso, é imperativo que a caminhada a partir do Chapéu comece bem cedo.
As 12h em ponto, mesmo com um pneu da Kombi furado, o Marcus apareceu para nos resgatar. Compramos uns queijos, fechamos a conta na mercearia, arrumamos as mochilas no veículo e embarcamos de volta para Aiuruoca, mas usando um caminho diferente do ônibus. Os primeiros 24kms são em estrada de terra e os 50kms restantes em uma pavimentada em ótimo estado.
As 14h chegamos na Pousada Ajuru, onde descarregamos as cargueiras e conseguimos tomar um banho. Despedimos-nos do Marcus e seguimos para o centro da cidade, para almoçarmos no restaurante da Pousada Dois Irmãos, que tínhamos aprovado no Carnaval. Chegamos em cima da hora do restaurante fechar, mas ainda conseguimos comer uma deliciosa costelinha. Para fechar com chave de ouro nossa passagem por Aiuruoca.
Findo o almoço, pegamos estrada novamente. Tocamos direto até Lima Duarte onde fizemos uma rápida parada para tomar um café, e depois seguimos até Itaipava. Finalmente chegamos em casa as 19h30, com aquela gostosa sensação de dever cumprido.
Grandes amigos, uma travessia memorável, muitas histórias e sorriso no rosto. É assim que a gente gosta de passar o feriado!

Dicas
Táxi: Marcus (celular 35 9944-1601) – Proprietário da Pousada Ajuru, é guia na região e possui uma kombi que usa no transporte. Muito atencioso!
Onde ficar 1: Pousada Ajuru (telefone 35 3344-1601) – Localizada na entrada da cidade. Site:  http://www.ajuru.com.br
Onde ficar 2: Pousada Pico do Papagaio (celular 35 9827-1244) – Localizada a 3km do centro, possui uma vista privilegiada da cidade. Site: http://www.pousadapicodopapagaio.com.br
Onde comer: Restaurante Dois Irmãos (telefone 35 3344-1373) – Localizado no piso inferior da Pousada Dois Irmãos, fica no Centro da cidade, próximo da matriz.

O imponente Morro do Chapéu
Foto: Fabio Fliess

 Paisagens incríveis durante toda a travessia
Foto: Fabio Fliess

 Já no bairro de Vargem, esperando o resgate.
Foto: Fabio Fliess

Um comentário:

JapStudies disse...

Olá,
Parabens pelo post no Blog! 
Hoje em,dia qualquer dica, ajuda para quem quer morar for a ou fazer intercâmbio é válida. Visite o site da nossa agência de intercâmbio com base em Brighton na Inglaterra JapStudies.com (Juniors, Adults & Professionals Studies). Como nosso serviço é em sua maioria online os custos são muito mais baratos do que se comparado com as empresas no Brasil e você pagará seu curso diretamente para a escola através de uma transferência bancária internacional com a cotação do Banco Central.
Entre em contato com a gente e peça um orçamento sem compromisso 
Um forte abraço JapStudies.com